Trabalho Escolar -2º Bimestre – 3ª série

 Deixe em comentário a pesquisa de se grupo (coloque o nome e nº de todos) sobre Ginástica Laboral: Sua história, o que é, para que serve (seus objetivos e benefícios), e como é feita.

About these ads

7 thoughts on “Trabalho Escolar -2º Bimestre – 3ª série

  1. Historia
    Há relatos de ginástica laboral desde 1925, na Polônia, onde era chamada de ginástica de pausa e destinada a operários. Neste mesmo período, pesquisas foram realizadas na Bulgária, Alemanha Oriental e na Holanda. Na Rússia, 150 mil empresas, envolvendo 5 milhões de funcionários, praticavam e ainda praticam a ginástica de pausa, adaptada a cada cargo.
    Recentemente, essa modalidade assistiu a um desenvolvimento no Japão, onde, desde 1928, os funcionários dos correios freqüentam sessões de ginástica diariamente.
    No Brasil, a ginástica laboral chegou por meio de executivos nipônicos e, após várias experiências, começou a ser retomada na década de 1980, ressurgindo com força total na década de 90. A partir desta fase, foi enfatizada a qualidade de vida e no trabalho, condenando-se o estresse e as lesões causadas pelo trabalho repetitivo como o Dort (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho).

    O que é, para que serve (seus objetivos e benefícios)

    É o conjunto de práticas de exercícios físicos realizados no ambiente de trabalho (donde o qualificativo laboral), com a finalidade de colocar previamente cada pessoa — e todos — da equipe ou grupo de trabalho bem preparadas para o exercício do labor diário. Usualmente baseia-se em técnicas de alongamento, distribuídas pelas várias partes do corpo, dos membros, passando pelo tronco, à cabeça, sendo, de ordinário, orientada ou supervisionada por um especialista no assunto ou por alguém (do grupo) por esse especialista treinado (que pode ser um fisioterapeuta ou educador físico).

    Como é feita

    A Ginástica Laboral é realizada no próprio local de trabalho, é de curta duração e consiste em exercícios de alongamento das estruturas musculares envolvidas nas tarefas ocupacionais diárias. Não provoca cansaço físico ou sudorese, é realizada com a própria roupa de trabalho e tem como objetivo a prevenção de doenças ocupacionais.

  2. A Ginástica Laboral começou
    a ser compreendida como um grande instrumento na melhoria
    da saúde física do trabalhador, reduzindo e prevenindo
    problemas ocupacionais,
    através de exercícios específicos que são realizados no próprio
    local de trabalho.

    A HISTORIA

    A modalidade surgiu como forma de prevenção contra os problemas causados pelas lesões de esforço repetitivo e demais distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho.

    O primeiro vestígio desta idéia vem da Polônia, datado de 1925 com o nome “Ginástica de Pausa”. Anos depois, surgiu na Holanda e na Rússia. Na década de 60, atingiu outros países da Europa e principalmente o Japão, onde ocorreu a consolidação e a obrigatoriedade da GLC – Ginástica Laboral Compensatória. No Brasil, a semente brotou em 1973, na escola de educação Feevale com um projeto de Educação Física Compensatória e Recreação no qual a escola estabelecia uma proposta de exercícios baseados em análises biomecânicas (MARCHESINI, 2001).

    Foi também por volta de 30 anos atrás que um jovem médico americano tentava fazer entender a classe médica que corridas radicais previnem os males da vida sedentária (problemas cardíacos, obesidade, entre outros). Keneth Cooper entende ter trazido para a medicina o conceito de exercício que dá saúde e alegria às pessoa (MARCHESINI, 2002).

    A ginástica laboral está suprindo, ao menos em partes, esta necessidade de um “espaço de liberdade”, de uma quebra de ritmo, na rigidez e na monotonia do trabalho. Além disto, a organização do trabalho ataca primeiro e maciçamente a vida mental dos indivíduos. O desgaste neste aspecto é bem maior devido a todo o esforço para manter-se sob controle. Assim ao começarem a participar da ginástica, os trabalhadores descobrem que é um momento, talvez o único do dia. Onde podem ser eles mesmos de forma integrada, expandindo o corpo, a mente e o espírito. É possível, então, relaxar e abrir mão do autocontrole, livres de risco de acidentes, erros e tensão decorrentes. Podem sair das posturas automatizadas, conversar com seus colegas e desligar das pressões aliviando o stress. A ginástica laboral preenche também uma carência de atenção e valorização das pessoas, sendo percebida como uma diferença da empresa para com elas e um sinal de humanização do ambiente de trabalho.Hoje parece dispensável relacionar atividade física e promoção de saúde.

    Atualmente, não se continua competitiva no mercado a empresa que não se volta à qualidade de vida de seus funcionários, visto que a produtividade é diretamente proporcional à saúde do indivíduo. E é no âmbito de se promover saúde mental, amenizando o estresse, e física, combatendo os males como sedentarismo e esforços repetitivos que a tecnologia proporciona, é que a ginástica laboral tem sido uma importante alavanca nesse processo. (PAGLIARI, 2002)

  3. Ginástica Laboral

    (MENDES,2000).HISTÓRICO DA GINÁSTICA LABORAL
    Oprimeiroregistrodatade1925,naPolônia,ondeé
    chamadadeginásticadepausaedestinadaaoperários.Após1925,foramfeitasváriasexperiênciasna
    Holanda,BulgáriaeAlemanhaOcidental.
    NaRússia,150milempresasenvolvendo5milhõesdeempregadospraticamaginásticadepausasegundoaatividade
    ecargo.HISTÓRICO DA GINÁSTICA
    LABORAL
    NoJapão,em1928,osfuncionáriosdoscorreiosjá
    freqüentavamsessões,diariamente,buscandoadescontraçãoeocultivodasaúde.Atualmenteumterçodostrabalhadoresjaponesesexercita-senassuasempresas.Maisrecentemente,nosEstadosUnidos,centenasdeempresasteminvestidoemprogramasquepromovemocondicionamentofísicoemseusempregados.Ginástica Laboral em empresas brasileiras

    Surgimento na década de 70

    80

    1978

    FEEVALE-BOSCH do Brasil50 pessoas no setor de fábrica + 30 do administrativo10 min de ginástica diferente para cada grupoAdministrativo -prevenção DORT
    Setor de fábrica -exercícios de alongamentoGinástica Laboral em empresas brasileiras
    Pfizer
    Oferece aeróbica, musculação, dança de salão, caminhada e ginástica monitorada por professores de educação física.
    Sadia AS
    1992

    redução de queixas de lombalgias
    2002

    prevenção de DORTGinástica Laboral em empresas gaúchas
    AABBSTIHLSPRINGER CARRIERDANA ALBARUSCOPESULBANCO DO BRASILBenefícios da Ginástica Laboral

    Libera movimentos bloqueados pelas tensões emocionais

    Aumenta a amplitude e tonicidade muscular

    Melhora a coordenação motora

    Eliminação de toxinas com aumento da circulação sanguínea,

    Reduz o sedentarismo

    Reduz a fadiga mental e físicaGinástica Laboral
    Ginástica:
    Arte ou ato de exercitar o corpo para fortificá-lo e dar-lhe agilidade (CAÑETE, 1996); Conjunto dos exercícios corporais sistematizados para esse
    fim (FERREIRA, 1999).
    Laboral:
    Relativo ao labor, ao trabalho.Ginástica Laboral
    Conceitos
    :É uma atividade física voltada especificamente para o
    trabalhador, desenvolvida no próprio ambiente de trabalho e
    que utiliza exercícios específicos visando a movimentação do sistema músculo-esquelético e a melhora do bem-estar físico e psíquico dos mesmos.

  4. Nome: Alyne Thaysa Nº:02 Série:7ªE

    Sistema da defesa no Handebol:

    Os jogadores na defesa precisam trabalhar em equipe. Comunicação é absolutamente vital. Onde está o pivô? Quem está marcando quem? Onde está o foco do ataque? No nível de elite do Handebol, existem times que possuem jogadores especializados na defesa, que são fisicamente grandes, muito fortes, rápidos e com muita concentração. Esses jogadores ainda possuem a habilidade de detectar o foco do ataque e se adaptar as mudanças nas jogadas. Defensores situados no meio precisam ser muito fortes e altos para impedir os ataques dos meias e conter os pivôs. O goleiro é vital na defesa. Um bom goleiro pode representar mais de 50% da performance de um time. Quando a defesa é penetrada, o goleiro é a ultima barreira ao atacante. Ele precisa ter um reflexo rápido, boa antecipação de onde o atacante pretende arremessar e habilidade de ajustar força, reflexos e total concentração (eliminado qualquer coisa que não seja referente ao jogo) forçando seu objetivo final, a defesa. O goleiro também deve se comunicar com seu time, (pois possui maior visão de jogo por estar fora dos lances de ataque) incentivando e alertando a defesa; e auxiliando e orientando seus companheiros no ataque.

    Princípios Fundamentais na Defesa:

    Entre o jogador que vais arremessar e o gol deve haver um jogador de defesa; um adversário nunca deve chegar livre para executar um arremesso ao gol.

    O jogador de posse da bola deve sempre ser marcado e confundido nas suas ações, quando próximo da área do gol.

    As ações defensivas devem se dirigir sobre a bola, não sobre o corpo de adversário.

    O jogador de defesa cobre sempre o braço de arremesso do adversário que está de posse da bola.

    Quanto mais os adversários chegam perto da área do goleiro, tanto mais próximo o jogador da defesa deve efetuar a marcação

    Não atacar o adversário totalmente de frente, mas diagonalmente, para ter a possibilidade de voltar se for fintado, ou conseguir prosseguir, se roubar à bola.

    Os atacantes devem ser constantemente pressionados para fora, nas laterais da quadra, dificultando o arremesso contra a baliza.

    Nenhum defensor deve abandonar seu setor de marcação, enquanto o adversário estiver de posse da bola.

    Após um ataque defendido, o jogador da defesa deve iniciar rapidamente um ataque ou então correr para livrar-se do adversário.

    Deve-se observar também, que no momento em que a equipe perder a posse de bola, deverá voltar pelo caminho mais curto, a fim de evitar o contra-ataque do adversário e ocupar o lugar mais próximo para defender a sua baliza, jogando temporariamente fora de sua posição, retornando à sua antiga posição, no momento oportuno.

  5. Princípios Fundamentais na Defesa

    Entre o jogador que vais arremessar e o gol deve haver um jogador de defesa; um adversário nunca deve chegar livre para executar um arremesso ao gol.

    O jogador de posse da bola deve sempre ser marcado e confundido nas suas ações, quando próximo da área do gol.

    As ações defensivas devem se dirigir sobre a bola, não sobre o corpo de adversário.

    O jogador de defesa cobre sempre o braço de arremesso do adversário que está de posse da bola.

    Quanto mais os adversários chegam perto da área do goleiro, tanto mais próximo o jogador da defesa deve efetuar a marcação

    Não atacar o adversário totalmente de frente, mas diagonalmente, para ter a possibilidade de voltar se for fintado, ou conseguir prosseguir, se roubar à bola.

    Os atacantes devem ser constantemente pressionados para fora, nas laterais da quadra, dificultando o arremesso contra a baliza.

    Nenhum defensor deve abandonar seu setor de marcação, enquanto o adversário estiver de posse da bola.

    Após um ataque defendido, o jogador da defesa deve iniciar rapidamente um ataque ou então correr para livrar-se do adversário.

    Deve-se observar também, que no momento em que a equipe perder a posse de bola, deverá voltar pelo caminho mais curto, a fim de evitar o contra-ataque do adversário e ocupar o lugar mais próximo para defender a sua baliza, jogando temporariamente fora de sua posição, retornando à sua antiga posição, no momento oportuno.

    Fonte: br.geocities.com

  6. Ginástica Laboral

    Histórico

    A modalidade surgiu como forma de prevenção contra os problemas causados pelas lesões de esforço repetitivo e demais distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho.

    O primeiro vestígio desta idéia vem da Polônia, datado de 1925 com o nome “Ginástica de Pausa”. Anos depois, surgiu na Holanda e na Rússia. Na década de 60, atingiu outros países da Europa e principalmente o Japão, onde ocorreu a consolidação e a obrigatoriedade da GLC – Ginástica Laboral Compensatória. No Brasil, a semente brotou em 1973, na escola de educação Feevale com um projeto de Educação Física Compensatória e Recreação no qual a escola estabelecia uma proposta de exercícios baseados em análises biomecânicas (MARCHESINI, 2001).

    Foi também por volta de 30 anos atrás que um jovem médico americano tentava fazer entender a classe médica que corridas radicais previnem os males da vida sedentária (problemas cardíacos, obesidade, entre outros). Keneth Cooper entende ter trazido para a medicina o conceito de exercício que dá saúde e alegria às pessoa (MARCHESINI, 2002).

    A ginástica laboral está suprindo, ao menos em partes, esta necessidade de um “espaço de liberdade”, de uma quebra de ritmo, na rigidez e na monotonia do trabalho. Além disto, a organização do trabalho ataca primeiro e maciçamente a vida mental dos indivíduos. O desgaste neste aspecto é bem maior devido a todo o esforço para manter-se sob controle. Assim ao começarem a participar da ginástica, os trabalhadores descobrem que é um momento, talvez o único do dia. Onde podem ser eles mesmos de forma integrada, expandindo o corpo, a mente e o espírito. É possível, então, relaxar e abrir mão do autocontrole, livres de risco de acidentes, erros e tensão decorrentes. Podem sair das posturas automatizadas, conversar com seus colegas e desligar das pressões aliviando o stress. A ginástica laboral preenche também uma carência de atenção e valorização das pessoas, sendo percebida como uma diferença da empresa para com elas e um sinal de humanização do ambiente de trabalho.Hoje parece dispensável relacionar atividade física e promoção de saúde.

    Atualmente, não se continua competitiva no mercado a empresa que não se volta à qualidade de vida de seus funcionários, visto que a produtividade é diretamente proporcional à saúde do indivíduo. E é no âmbito de se promover saúde mental, amenizando o estresse, e física, combatendo os males como sedentarismo e esforços repetitivos que a tecnologia proporciona, é que a ginástica laboral tem sido uma importante alavanca nesse processo. (PAGLIARI, 2002)

    O que é ginástica laboral?

    Segundo a NESRA – Associação Nacional de Serviços e Recreação para Empregados dos Estados Unidos, é a prática voluntária de atividades físicas realizadas pelos trabalhadores coletivamente dentro do próprio local de trabalho durante sua jornada diária que, por meio de exercícios específicos, tem como meta prevenir e/ou amenizar as doenças decorrentes da atividade que desempenham.

    Benefícios da ginástica laboral

    Faz-se claramente necessário que as capacidades físicas e mentais do indivíduo estejam equilibradas para que ele possa desenvolver-se com o máximo rendimento em todos os sentidos com atenção, agilidade e urgência, qualidade, trabalho em equipe, produção, satisfação de clientes e motivação. É esse equilíbrio das capacidades de seus funcionários, advindo da melhora na qualidade de vida, a que as empresas visam quando implantam os programas de ginástica laboral.(MARCHESINI, 2002)

    Conclusão

    Podemos entender que a doença do homem econômico já foi detectada.E as empresas se vêem cada dia mais interessadas em tratá-la.Isso porque o homem saudável e feliz representa maior produtividade. Ou seja, as empresas têm percebido que seu sucesso depende da compreensão da dimensão do significado do ser humano e atuação na direção do seu pleno desenvolvimento e satisfação. Atualmente, o ser humano tornou-se o verdadeiro e principal diferencial competitivo. Objetivo das empresas: acumulação de capital. Quem recebe a grande vantagem O homem econômico.

  7. Pingback: Os números de 2010 | Escola Annunziatta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s